Conquistando espaço

Parklets estão dominando e democratizando áreas centrais de muitas cidades; fazendo da madeira um conector das pessoas com os espaços urbanos

Uma das últimas tendências em soluções para os espaços urbanos, os parklets vem ganhando espaço nos centros das grandes cidades. As estruturas de madeira sob medida aproveitam os espaços nas calçadas e acostamentos para oferecer aos pedestres áreas de descanso, convívio e interação com a paisagem urbana.



“Uma parte importante de tornar os centros das cidades mais agradáveis para pedestres é oferecer espaços para as pessoas se sentarem e passarem o tempo”

Diz Sean Warner, gerente da Downtown Long Beach Associates, nos EUA (Estados Unidos da América). “Parklets, sejam públicos ou privados, aumentam essas oportunidades e ajudam a criar atividades no cenário da cidade.”
Integração

parklets

Os parklets se caracterizam como pequenas áreas que ocupam uma ou mais vagas de estacionamento junto às calçadas. A sua estrutura padrão tem um assoalho elevado; geralmente de madeira, aproximadamente da mesma altura que a calçada a que está anexada, e podem ser preenchidos por elementos de design como bancos, mesas, pequenos jardins, árvores, demais elementos de decoração ou espaços para guardar bicicletas.

A alta capacidade de customização dos parklets contribui para seu sucesso; com possibilidades de incorporação de pequenos jardins ou projetos artísticos, que podem transformar os espaços em atrações turísticas locais.

“Os parklets oferecem uma alternativa criativa para aqueles que não têm espaço, e isso melhora a comunidade”, diz Brian Ulaszweski, fundador do estúdio de design urbanístico City Fabrick.

A primeira cidade do mundo a adotar a inovação foi São Francisco; nos EUA, que começou a instalá-los em pontos estratégicos da cidade em 2005. Pouco tempo depois, pelo menos 14 estruturas foram incorporadas na cidade, conquistando a adesão dos moradores e atraindo atenção internacional.

Leia a matéria completa assinando a nossa revista aqui.

Post anterior

Aquecendo o Inverno

Próximo post

This is the most recent story.

diego

diego

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *